B Fachada (Crédito: Mané Pacheco)

B Fachada (Crédito: Mané Pacheco)

Como grande admirador da lusofonia, conjunto de algumas identidades culturais existentes em países de língua portuguesa, pedi ajuda para o querido André Gomes, editor do conceituado site bodyspace.net, para elaborar uma lista com 20 nomes da música portuguesa, que os brasileiros precisam conhecer.

Após escutar uma quantidade imensa de cantores e bandas talentosas, achei melhor excluir os artistas já conhecidos do público, casos de Carminho, Rui Veloso, Moonspell, Xutos & Pontapés, Orelha Negra, Buraka Som Sistema, entre outros, e ficar apenas com os nomes de destaque dos últimos anos.

Para agradar o maior número possível de seguidores, selecionei para o Tramp artistas de diversos gêneros, como rap, pop, folk, rock, psicodelia e música tradicional de Portugal. Confira abaixo os trabalhos de Allen Halloween, B Fachada, Benjamim, Capitão Fausto, Coelho Radioactivo, Deolinda, Éme, Filho da Mãe, Filipe Sambado, GUMe, JP Simões, Luís Severo, Márcia, MEDEIROS/LUCAS, Modernos, Norberto Lobo, Os Capitães da Areia, Pega Monstro, Salto e Sensible Soccers.

Allen Halloween

O rapper Allen Halloween é um sucesso do gênero no país lusófono. Nascido na Guiné-Bissau, o artista vive na cidade de Odivelas (Lisboa) e já lançou três ótimos discos, com destaque especial para o mais recente, Híbrido, de 2015, que conta com grandes sucessos, como “Bandido Velho”, “Zé Maluco”, “Youth”, “Marmita Boy”, “Rap de Rua” e “Mr. Bullying”. Clique aqui e ouça mais.

B Fachada

B Fachada é o nome artístico de Bernardo Cruz Fachada, um compositor e multi-instrumentista português nascido em Cascais (Lisboa). Com um talento indescritível, o artista ganhou notoriedade nacional após o lançamento de seu primeiro álbum, Um Fim-de-Semana no Pónei Dourado, de 2009. De lá pra cá, o cantor coleciona uma discografia com 14 trabalhos oficiais, entre álbuns, singles e EPs, com destaques para B Fachada É Pra Meninos, de 2010; Criôlo, de 2012; e o homônimo, que saiu em 2014. Clique aqui e ouça mais.

Benjamim

Benjamim, também conhecido como Walter Benjamim, quando compõem canções em inglês, é o nome artístico de Luís Nunes, um jovem talentoso que canta sobre as histórias de Portugal, do Porto, da crise e do amor. Inspirado em grandes artistas, como Duo Ouro Negro, Lena d’Água, Chico Buarque, Zeca Afonso, Bob Dylan, The Beatles e Beach Boys, ele lançou o seu primeiro álbum, intitulado Auto Rádio, em 2015. Clique aqui e ouça mais.

Capitão Fausto

Formada em 2009, na cidade de Lisboa, por Manuel Palha (guitarra), Domingos Coimbra (baixo), Francisco Ferreira (teclado), Tomás Wallenstein (voz e guitarra) e Salvador Seabra (bateria), a banda de rock Capitão Fausto é uma das mais legais e interessantes da cena portuguesa. Com uma mistura rítmica, que vai do pop a psicodelia dos anos 60, o grupo já lançou três discos: o Gazela, de 2011; o Pesar O Sol, de 2014; e o Grelhados Ao Vivo, também em 2014. Clique aqui e ouça mais.

Coelho Radioactivo

Direto da cidade de Aveiro, a Veneza Portuguesa, o compositor Coelho Radioactivo é um especialista na arte de fazer canções maduras e melancólicas. Com dois discos na bagagem, Estendal, de 2012; e Canções Mortas, de 2014, o talentoso João Sarnadas, nome de batismo, também participa de um projeto incrível ao lado do seu amigo Luís Severo, chamado os Flamingos. Clique aqui e ouça mais.

Deolinda

Conhecida do público brasileiro, a banda Deolinda, formada por Ana Bacalhau (voz), Pedro da Silva Martins (guitarra), Luís José Martins (guitarra) e Zé Pedro Leitão (contrabaixo), representa como poucas o atual poder da música portuguesa. Desde 2006, a banda já lançou cinco álbuns, com destaque especial para o mais recente deles, Outras Histórias, de 2016. Clique aqui e ouça mais.

Éme

João Marcelo, ou Éme, é um cantor e compositor que consegue misturar pop com groove e folk. O artista já lançou dois ótimos álbuns, o Gancia, de 2012; e o elogiado Último Siso, de 2014, trabalho que contou com a produção de B Fachada e saiu pelo selo Cafetra Records. Clique aqui e ouça mais.

Filho da Mãe

Filho da Mãe é o projeto do exímio guitarrista Rui Carvalho, que mistura clássico, rock e blues com música portuguesa. O artista já lançou três discos, o Palácio, de 2011; o Cabeça, de 2013; e o mais recente, Mergulho, que saiu em março deste ano. O disco foi produzido por João Brandão e é fruto de uma residência proporcionada pela associação Encontrarte-Amares. Clique aqui e ouça mais.

Filipe Sambado

Vocalista e guitarrista na banda Cochaise e baterista na Chibazqui, o cantor Filipe Sambado é natural de Lisboa e tem um talento único para fazer canções amigáveis com métrica, ritmo e rima. Depois de três EPs, Isto É Coisa Para Não Voltar a Acontecer; e 1234, ambos de 2012; e Ups?.?.?. Fiz Isto Outra Vez, de 2014, o cantor lançou o seu primeiro disco solo, Vida Salgada, em março deste ano pela Spring Toast Records. Clique aqui e ouça mais.

GUME

Criado por Yaw Tembe (trompete e voz), Pedro Monteiro (baixo e contrabaixo), Guilherme Parreira (bateria), André David (guitarra) e Tiago Fernandes (saxofone), o GUME é um grupo novo, com apenas um ano e meio de existência, que tem no groove a sua principal essência. Inspirados por obras dos Last Poets, Ornette Coleman, Steve Coleman, Itamar Assumpção, Big Youth e Linton Kwesi Johnson, eles lançarão o primeiro EP em breve. Clique aqui e ouça mais.

JP Simões

Nascido em Coimbra, JP Simões é o típico artista multifacetado, pois é um ótimo músico, escritor e jornalista. Além de ter feito parte dos grupos Pop dell’Arte, Belle Chase Hotel e Quinteto Tati, o cantor lançou quatro excelentes álbuns em carreira solo, são eles: o 1970, de 2006; o Boato, de 2009; o Onde Mora o Mundo, de 2011; e o Roma, de 2013. Clique aqui e ouça mais.

Luís Severo

O cantor Luís Severo, também conhecido como Cão da Morte, projeto com o qual lançou quatro álbuns, entre eles os elogiados Odissipo e Fim de Verão, é um artista único e faz um pop hipster lusitano de muita qualidade. Em 2015, Luís lançou o disco Cara d’Anjo, trabalho que figurou nas principais listas de melhores álbuns de Portugal, e conta com os sucessos “Cara d’Anjo”, “Ainda é Cedo”, “Santo António”, “Canto Diferente” e “Lábios de Vinho”.  Clique aqui e ouça mais.

Márcia

A cantora de indie, pop, rock e folk Márcia surgiu para o público português em 2009, com um EP homônimo. Depois do sucesso inicial, a cantora lançou mais três álbuns: o , de 2010; o Casulo, de 2013; e o mais recente, Quarto Crescente, de 2015, trabalho produzido por Filipe C. Monteiro, que conta com as participações dos artistas brasileiros Dadi Carvalho, Criolo e Vinicius Cantuária. Clique aqui e ouça mais.

MEDEIROS/LUCAS

A dupla açoriana, formada por Carlos Medeiros e Pedro Lucas, faz um som pop que cruza o folk, como eles mesmos descrevem. Com um talento de raiz, os músicos lançaram o disco de estreia, Mar Aberto, em 2015, pelo selo conjunto Lovers & Lollypops/Musicbox – CTL. Entre as canções do trabalho, destaques para “Canção do Mar Aberto”, “Sede”, “Navio”, “Búzio”, “Rema”, “Fado do Regresso” e “Safra de Gente”.. Clique aqui e ouça mais.

Modernos

O trio formado por Salvador Seabra (bateria), Tomás Wallenstein (guitarra e voz) e Manuel Palha (baixo) representa muito bem a nova geração da música portuguesa. Com um som contemporâneo, que retrata o rock à moda portuguesa, o grupo conta com um repertório pequeno, são basicamente dois EPs, o #1, de 2014; e o #2, de 2015, mas com canções capazes de levantar o público. Clique aqui e ouça mais.

Norberto Lobo

Nascido em Lisboa no ano de 1982, Norberto Lobo é uma das principais figuras da música portuguesa neste século. Ótimo guitarrista, violonista e compositor, Norberto já se apresentou com gente de peso da cena internacional, como Lhasa de Sela, Devendra Banhart, Larkin Grimm e o lendário Naná Vasconcelos. Ele lançou o seu primeiro álbum solo, Mudar de Bina, em 2007 e até o momento coleciona mais de oito trabalhos autorais, entre os quais, vale destacar o conceitual Mel Azul, de 2012. Clique aqui e ouça mais.

Os Capitães da Areia

Os Capitães da Areia, formado por Pedro de Tróia, Tiago Brito, António Moura, Vasco Ramalho e Inês Franco, é o tipo de grupo que algumas pessoas demoram para começar a gostar, mas quando gostam viram fãs. Com letras divertidas e um instrumental que circula entre o indie, o pop e a psicodelia, eles já lançaram dois discos, O Verão Eterno d’Os Capitães da Areia, de 2011; e A Viagem dos Capitães da Areia a Bordo do Apolo 70, de 2015. Clique aqui e ouça mais.

Pega Monstro

O duo formado pelas irmãs Júlia (bateria e voz) e Maria Reis (guitarra e voz) é uma das melhores surpresas de Portugal. Com canções punk-pop cheias de riffs, gírias e refrões, elas conquistaram os jovens do país com o hit “Paredes de Coura”, presente no EP O Juno-60 Nunca Teve Fita, de 2011. Depois do EP, elas mantiveram o sucesso com dois discos muito legais, o homônimo, de 2012, e Alfarroba, de 2014. Clique aqui e ouça mais.

Salto

O quarteto portuense Salto é formado pelos primos Gui Tomé Ribeiro e Luís Montenegro, além dos amigos Tito Romão e Filipe Louro. Na estrada desde 2007, o grupo faz um som que mistura pop com eletrônica e toques de psicodelia. Após um grande sucesso com o single “Deixar Cair”, presente no disco homônimo, de 2012, o grupo lançou o álbum mais recente, Passeio das Virtudes, de 2015. Clique aqui e ouça mais.

Sensible Soccers

Criado em 2009, em Vila do Conde (perto do Porto), o trio Sensible Soccers faz uma música lúdica e cerebral. Formado por Filipe Azevedo, Hugo Alfredo Gomes e Manuel Justo, o grupo ganhou fama nacional com o single “Sofrendo Por Você”, de 2013, e também lançou dois discos, o 8, de 2014; e o mais recente, Villa Soledade, de 2016. Clique aqui e ouça mais.